Tags

, , , , , , ,

Graças à Lua, ao Universo, à Deus e meus aliados, os eventos ocorridos nos últimos meses, tem conspirado ao meu favor. Antes de mais nada, peço aos meus queridos leitores bastante paciência, pois nem sempre tenho palavras de sabedoria para iluminar vossos dias. Hoje, resolvi escrever porque fiquei com saudades e acho que tenho algo bom para compartilhar.

Não pretendo contar detalhes do que se passou durante o período em que estive ausente neste humilde espaço onde revelo os meus segredos e desaforos. Talvez alguns pontos interessantes para a compreensão dos sentimentos em questão… Meus pais estiveram aqui comigo, passamos momentos únicos, viajamos pela California, mudei de casa novamente. Eles se foram e levaram um pedacinho de mim. De repente, senti parar no tempo. Ou melhor, o tempo tão veloz não permitia meu corpo alcançar o presente – se é que existe algum sentido nisso tudo, é o que eu pensava em meio a confusão da minha mente. Há alguns meses atrás, minha vida, de cabeça para baixo, pôs-se a chorar desolada. Como podem ter imaginado nos melancólicos e desgostosos versos do artigo anterior, certo dia me tocou o desespero. Sem trabalho, me sentindo só, sem estudar direito, sem tempo pra pensar em coisas boas, com medo do viver, pensando que tudo evolui pra todo mundo, menos pra mim… Aquela deprê toda! Para a Lua então, resolvi pedir ajuda. Resulta que, desde que comecei com essa loucura boa, tudo o que eu peço tem ocorrido exatamente do jeito que imagino.

Full_Moon

Além da Lua, manifestei O Segredo e outras intenções. Acho que a sofreguidão faz isso mesmo, deixa a gente meio ‘lelé’. Pode parecer místico, e talvez deveras metafísico, mas pra mim tem funcionado direitinho. Os resultados foram extremamente explícitos. Sem me gabar, mas o desejo de transparecer uma realidade antes irreal, quero aqui compartilhar alguns dos eventos ocorridos: Em uma breve semana (talvez a melhor semana em LA até agora): GANHEI um carro que anda direitinho pela Cidade dos Anjos, CONSEGUI um trabalho que estou adorando. CONHECI gente maravilhosa, tenho EXPLORADO a cidade mais do que pedi e fui chamada para AUDIÇÕES que um dia sonhei (e continuo sonhando). Ou seja, tá tudo encaminhado, ado-a-a-do, está tudo encami-nhado! Com os meus “baby steps” tudo vai acontecendo aos pouquinhos. Eu sei que sim. Talvez essa tenha sido a motivação pra “voltar a” escrever.

Continuando a falar de coisas boas, compartilho em seguida alguns dos meus devaneios intelectuais, ou ao menos o desejo de ter algum.

Gostaria de expor aqui o meu PROJETO ARTÍSTICO 2013 para concluir até o final do ano. Se possível, adoraria poder contar com outras pessoas que resolvessem fazer o mesmo ou dar dicas valiosas que acrescentem. Perguntas serão super bem-vindas, comentários e desejos de aprender [sempre].

Aqui vai…

  1. Assistir alguns vídeos criativos que me tragam inspiração e curiosidade. (YouTube, Vimeo, Google…). Refletir o porquê me atrai aquele tipo de assunto, performance, dança, filosofia, etc.
  2. Compartilhar em rede social ou talvez com amigos específicos que possam ter os mesmos interesses, enviar uma playlist, vídeos favoritos, comentários, blogs ou qualquer tipo de arte-inspiração que me provoque.
  3. Ler artigos, livros, jornais, blogs, websites que tenham a ver com o assunto em questão.
  4. Escolher um, dois ou três artistas, teóricos, pensadores, que me movem. Através de biografias, documentários, filmes, livros, etc, aprender sobre a vida deles, suas idéias e influências.
  5. CRIAR UMA OBRA ORIGINAL. Escrever minhas intenções num caderno, me perguntando o motivo para criar algo desse tipo, para quem vou criar, que tipo de discurso ou pessoas essa obra vai contemplar e como vou organizar esse projeto para que tenha o efeito correto.
  6. Dar vida ao projeto. Participar de eventos que julguem ou acrescentem informações necessárias para a evolução da proposta. Pedir auxílio a professores, profissionais e pessoas que possam me ajudar a transformar o papel em realidade.

Eu já tenho algumas idéias e adoraria poder ouvir diferentes concepções, ideologias, convicções e princípios rumo à criação de um projeto original. Algo pra chamar de meu, ou teu! Talvez um dia, NOSSO.

                        – Boa sorte para nós, seres humanos, criadores de coisas e pensamentos nada originais, ou talvez um pouquinho só, de vez em quando!