Voltei com tudo. Não me refiro ao blog, mas ao bairro que me recebeu de braços abertos quando aqui cheguei. Confesso que outras vezes não me acomodou tão bem assim. De raiva o deixei pela forte preocupação com o meu bolso. Vagas de trabalho são precárias para estrangeiros. Com razão? Talvez pela lei, mas não pela falta de vontade. Fui morar pra lá de Hollywood. O canto de lá me deixou preguiçosa e despreocupada com o futuro. Debruçada sob a varanda do prédio novo, certo dia percebi que havia começado a viver como madame. As cifras no banco diminuiram violentamente. Não que algum dia tivesse tido muita coisa, mas quando previ um xeque-mate, caí fora. Voltei então a abraçar novamente a oportunidade que me foi dada com carinho, para assim recomeçar a elevar os calcanhares a fim de dar um triplo pulo artístico, já que os primeiros foram acumulando.

nohoartsdistrict

Em um bairro chamado North Hollywood, vulgo NoHo Arts District, perambulo pelos becos em busca de um ofício qualquer que me acrescente notas verdes com branco. Num processo anterior a esse, deixei o nobre namorado no passado. O fiz porque partiu meu coração, afogou minha paixão, destruiu as minhas idéias e um tanto mais em etcetera. Embora tivesse tido bons momentos enquanto a convivência durou, os pontos negativos fizeram-se muito mais notáveis do que os positivos. Nunca entendia, quando diziam que ao namorar, algumas pessoas simplesmente deixam de ter amigos, deixam de fazer coisas e vivem para o ser amado. Achava e ainda acho ridículo. Mas um sentimento cegou minha vista e os dias passaram. O ciúme cresceu e o tomou. De repente me vi isolada, com poucos amigos e triste num canto. A felicidade, naquele momento, era ter um alguém pra dar carinho e também o vice-versa. Entre tantos outros fatos sobre tudo o que se passou, acomodei-me, assim como aconteceu para lá de Hollywood. Lá fiquei. Três longos meses que ainda lutam comigo para fugir da memória. “Fiquem aí.”, eu digo, mas poucas vezes me fazem caso.

Recomeço a viver…

road-trip-to-california-coast

Meu aniversário em abril, junto com o meu pai, me proporcionou uma VIAGEM À (-o resto da) CALIFORNIA. Exatamente a rota da fotografia acima. Com espírito aventureiro recebi meus pais e um casal de amigos, que também já os considero da família. Conhecidos há tantos anos, também fizeram parte da complexidade dos vinte e três. Papai, mamãe, titio e titia reunidos para celebrar uma data especial. Passamos momentos incríveis, e honestamente, não acho que exista cura melhor ou conselhos mais efetivos do que os dos próprios pais. Devo aqui expor a imensa gratidão pelo apoio, segurança, afinidade, ensinamentos, amor, carinho e uma paz que entra no coração de forma tão profunda, que só eles para tal. Foram, como o número do meu ano novo, 23 dias juntos e inesquecíveis. Um dia para cada ano. Não pretendo listar todas as cidades que visitamos, mas posso garantir que foram muitas, e muitas, e muitas. Desde Los Angeles, San Diego, San Francisco, Napa Valley, Lake Tahoe até acabar em Las Vegas. E claro, as pequenas cidades entre uma e outra acomodação. Nessa brincadeira, tive a oportunidade de ver as florestas mais lindas agora vistas pelas minhas humildes pupilas. Me emocionei quando vi árvores de um tamanho e idade descomunais. Daquele tipo, que vinte homens abraçando-a, talvez, mas só talvez, consigam dar as mãos ao final do círculo. Espetacular! Entre tantas outras atrações, vimos cassinos, cachoeiras, florestas, motéis, pontos turísticos, oceano pacifico, praias virgens, montanhas, vinhos, aves, pessoas, e muuuuuuita estrada. E é claro, após tanta beleza, o fim resolveu aparecer e arrancou lágrimas das saudades antecipadas. Na memória ficará. Boa viagem desejei e o carro deu partida, com os meus velhinhos dentro, rumo ao aeroporto.

goodbye

[…] S-o-l-i-d-ã-o de um “sabe-se lá?” qual será a próxima vez…

De volta à realidade, ou melhor, Los Angeles. Não, frase contraditória. Melhor: Voltando àquele bairro que lhes contei, fiz a lista das tarefas da semana. Ao invés de riscar: Ser bondosa com os velhinhos, ajudar as crianças, respeitar os mais velhos e por aí vai. Assim não foi. Isso já é regra. Portanto, resolvi pensar mais em mim.

Aquele clube de atores que se reúne uma vez por semana para ler peças clássicas ou roteiros de filmes me veio à memoria enquanto completava a lista. Lembro-me bem das noites felizes que tive o prazer de acompanhá-los e, por vezes, participar de uma leitura ou outra. Pois ontem resolvi visitá-los. Após exatamente um ano que não os havia visto, pisei no teatro. Discretamente me uni à parede. Não reconheci muita gente. Os que eu conhecia serviam vinhos para os atores que pareciam bastante animados com seus roteiros na mão. Para interagir, peguei um copo e pedi que me servissem também. Assim que perguntei pelo vinho, os olhos da Meghan encontraram os meus e com emoção gritou meu nome (perfeitamente, como nunca fazem). Incrivelmente os que eu conhecia, abriram um sorrisão tão bonito que cobriu minha noite de felicidade. Disseram que sentiram saudades, me fizeram perguntas e se alegravam pela minha volta. Boquiaberta pela hospitalidade, a comédia de costumes, pra mim, virou uma palhaçada. Gargalhadas nervosas tomaram conta de mim, sem que eu percebesse a colossal emoção de estar ali. Foi ótimo!

the taming of the shrew

“A Megera Domada” de Shakespeare é uma peça que sempre escutei falar. Para não mentir, até conhecia a história, mas nunca tinha lido. Esse autor é demais mesmo. Não é a toa que a reputação do cara estourou na “mídia” dos 1500 até hoje. Mal posso esperar para chegar terça-feira que vem e participar do clube como leitora/atriz/personagem.

Digamos assim: O processo do começo de outrora é similar. Outra vez com passos de pulga. Distribuição civil de papéis demonstrando minha experiência professional, exercícios físicos para eliminar a pança que já não se esconde mais, fotografias, círculo social, e finalmente, muitas doses de esperança.

Finalmente, hoje, sendo um dia mais do que especial, 2 de maio, gostaria de compartilhar todas as palavras que são incapazes de expressar meu amor por ti. Ludinho, parabéns pelo teu aniversário! Te amo demais e torço por cada passo teu! “Irmãos para sempre é o que nós iremos ser, amigos para sempre…” Tudo de bom e de melhor a cada dia. Sucesso e conhecimento na vida: hoje e sempre.

I love you with all my heart and soul!!!

Screen Shot 2013-05-02 at 1.57.58 AM