Ontem fiz mais um ano de vida, e também foi o aniversário de um homem muito importante na minha vida: meu pai! Desejo à nós, toda a felicidade e sucesso do mundo! Te amo! Ao invés de homenagens públicas de afeto, prefiro preencher o Skype com palavras [diárias] sinceras de amor, carinho e respeito. Ofereço também um brinde à nossa longa vida, e que cada dia seja uma nova jornada rumo à felicidade!

“Às vezes no silêncio da noite, eu fico imaginando… VOCÊS! Eu fico aqui sonhando acordada, juntando, o antes o agora e o depois.”

Um honesto sentimento pra mim, é saudade.

Los Angeles é uma cidade muito divertida e cheia de pontos turísticos muito atrativos. Apesar dos infinitos eventos ocorrendo o tempo inteiro, a probabilidade de se sentir solitário, é grande. São Paulo também me fez sentir assim, sendo uma metrópole muito maior do que o comum, possui uma riqueza cultural sem fim. É o lugar onde tudo acontece. Às vezes tudo isso me incomoda um pouco!

(Foto: Los Angeles)

Não me julguem por isso, eu amo cidades grandes, adoro participar dos incansáveis programas culturais e estar a par das notícias mundiais, das oportunidades, dos acontecimentos. Infelizmente (ou felizmente?), tudo isso cresce numa velocidade impressionante, enquanto as milhares de informações não se desligam um minuto de mim, e sem querer, sinto minha insignificância, ou talvez ignorância aumentar a cada minuto. Fico pequena demais para suportar essa quantidade de não-sei-o-quê e outras coisas mais, que não o meu mundo.

Preciso me concentrar nos meus objetivos e determinar datas para alcançar as metas estabelecidas. Tenho que parar de pensar no resto do mundo, nas crises existenciais dos outros, na superficialidade das pessoas, e começar a pensar mais em mim.

Todo começo é difícil, principalmente quando saímos da nossa linha de conforto, que antes era a casa do papai e da mamãe, o dinheirinho no bolso aos finais de semana, o carro à disposição (com o tanque de gasolina cheio) para eu dar minhas voltinhas, nome na lista das festas mais badaladas, tudo de bom e do melhor. Quando você se dá conta que essas mordomias já venceram o prazo de validade, por mais que quisesse congelar o tempo, você percebe que em algum momento, tudo saiu do seu controle e agora… resta continuar.

A única coisa com a qual se pode contar agora é o apoio dos amigos e da família, que agora estão deveras longe. Assim fica muito difícil alcançar o ombro que nos serviu em tantas ocasiões, principalmente nos momentos em que mais precisamos.

Tenho consciência da dificuldade do início. Sei o motivo pelo qual estou aqui e quais as metas que pretendo traçar. Acredito estar no lugar certo, na hora certa. Ainda estou tentando descobrir como caminhar a favor do vento, mas acredito logo encontrar um timão para me guiar. Agradeço às energias positivas e palavras, de pessoas tão queridas, que aquecem meu coração e mantém minha vontade de querer crescer sempre. No entanto, não nego que as saudades consomem meu tempo livre. Sinto falta. A ausência das companhias, antes diárias, por um tempo me fez bem. Depois, foi como queda livre. Talvez, essa queda tenha me despertado para novas vivências. Não sei dizer se é bom ou ruim. É, com certeza, necessário.

É difícil dizer como me sinto, quando tenho a certeza de que esse sentimento tem suas vantagens. Talvez. Não sei. Acho que sim. Vantagem no sentido de poder conversar com essas pessoas que sinto falta, através desse mundo globalizado, antes criticado por mim mesma. Também porque sei que o adeus foi breve, e por mais que eu queira manter tudo como está, o tempo vai passar e as pessoas vão mudar.

Com isso, sabe lá o que será das relações que cuidei com tanto carinho ao longo do tempo! Por conta da minha escolha por novas experiências em busca de desenvolvimento profissional, meus dias vão ficando mais ocupados e fica cada vez mais difícil manter os contatos a distância! Alguns dirão que “uma boa amizade não acaba nunca”. Meras palavras de (des) conforto! Uma amizade não cultivada, não só termina, como esfria, seca, e morre. Coisa que não desejo a ninguém. Outros dirão ainda, que “novos amigos substituem os velhos”. Diiscordo profundamente. Ninguém, principalmente os amigos que tenho carinho, são substituíveis. Pelo contrário, são amizades extremamente sinceras e especiais, portanto sem substituições.

A parte disso tudo, da melancólica manhã que me fez recuperar momentos nostálgicos na memória, agradeço de coração à todos aqueles que embora longe, lembraram com muito carinho de mim, enviando palavras lindas, repletas de luz e sentimentos.

Saudades maiores do que o Sol.

Com todo o meu amor e carinho, Wayra.