Tags

, , , , , ,

Em homenagem aos ‘milhões de fãs’ que tenho via facebook e e-mail, àqueles que me mandam sugestões, perguntas e dúvidas: aqui escrevo um Post para ti, querida Flávia!

(Milhões de fãs? Hááááá, tá! Até parece, Dona Wayra! Que tal cortar a ficção?)

Ofícios do Idioma

Truque-da-brasileira (I): Se você vir aos Estados Unidos e não entender nada do que os cidadãos daqui dizem, não hesite em pedir para repetir. Os americanos são super educados e vão entender. Caso pareça muito constangeador: espere por alguma expressão da parte do falante e mesmo sem ter a menor noção do que eles estão falando, ria, chore, dê gargalhadas, por mais patético que possa parecer, mas não esqueça de compartilhar seus sentimentos. Sinceramente, pode perguntar, ainda mais se você for brasileiro, porque eles a-do-ram os brasileiros. Eles nos acham diverditos, alegres e fofos.

Não é muito simples sair de um país para ir morar em outro sem ter o domínio do idioma. Tudo bem que vivemos num mundo globalizado e inglês é simplesmente a segunda língua mais falada no mundo, perdendo para o Chinês (Mandarim). Ainda assim tem gente que não fala nenhum outro idioma, além da língua materna.

Para explicar um pouquinho das dificuldades com o idioma em Los Angeles, devo me ater à história. Não sei se vocês sabem, mas Los Angeles pertencia à Espanha, depois pertenceu ao México durante quase trinta anos, e hoje, desde 1850, a cidade pertence aos Estados Unidos. É quase uma terra-de-ninguém, porque coitados dos mexicanos que viviam aqui na época do domínio americano, não tinham pra onde ir, e acabaram ficando por aqui. Este é um dos inúmeros motivos pelos quais tem tantos mexicanos sem visto ou fora-da-lei nos territórios americanos.

Bom, a Cidade dos Anjos é uma exceção, em relação às outras cidades americanas. O americano não tem costume de viajar, conhecer outras culturas e muito menos se dedicar à outro idioma. Pois aqui, QUASE todo mundo fala espanhol, inclusive alguns americanos (apesar de não terem dom nenhum para aprender outras línguas). Se alguém quiser vir e morar a vida inteira nessa cidade, sem necessariamente falar inglês, venha sem medo: seus desejos serão atendidos! No metrô, tudo está escrito em espanhol e inglês. Até no Starbucks, todos falam uma segunda língua, assim como na padaria, nos restaurantes, bares.

Nos primeiros dias, assim que cheguei, vim com meu inglês afiadíssimo, louca para explorá-lo de qualquer forma e falar com todo mundo. Quando você fala em inglês no Brasil, com outra pessoa, você relaxa, se acomoda, porque se cometer algum erro, ninguém vai saber, poucos lembrarão, ou poderão fazer disso uma piada. Mas quando você está nos Estados Unidos, onde a língua nativa é inglês, suas tensões mudam. Você certamente não quer cometer erros, mas ao mesmo tempo, quer ouvir elogios em relação ao idioma, ao sotaque, etc. Pois é, e aí aconteceu o seguinte fato.

Encontrei uma brasileira, outro dia, e ela estava conversando com um americano. E ela tinha um sotaque maldito. Sabe aqueles do tipo Penélope Cruz, Carmen Miranda? Exatamente, incrivelmente absurdo! Parecia que ela estava soltando as sílabas uma a uma, de tão excêntrico que era seu inglês. E adivinhem o quê? O cara estava apaixonado pelo seu sotaque, quase babando no metrô. Nessas horas eu digo, vá lá, meu sotaque não é super americano e tal, mas eu tento. Assim que comecei a dar o truque-da-brasileira (II), e jogar uns sotaques fortes, todo mundo pede para eu falar mais um pouquinho. “Ahhhhh, que sotaque mais lindo!!!!” (E meu comentário de decepção é: Ainda bem que as pessoas tem gostos diferentes, se não o mundo ia ser tão chato.)

SOTAQUE BRASILEIRO = SUCESSO ABSOLUTO!