Tags

, , , , , , , , , , ,

Eu sei, soa estranho que eu, como “atriz PROFISSIONAL” (pelo menos no papel: Certificado), tenha uma primeira audição para um trabalho. Aliás, audição, teste e sofá podem parecer sinônimos no Brasil, mas aqui em Los Angeles a história é um pouquinho diferente. Estou certa de que sempre vai ter um suposto Diretor, Agente, Produtor totalmente babaca querendo tirar vantagem dos POBRES atores. Por outro lado, também haverão os profissionais que poderão ajudar, mas: Sem ilusões, porque eles também vão querer tirar proveito de você! PORQUE ABUSOS AOS ATORES EXISTEM! Lógica: Visando a qualidade somada à quantidade de atores existentes aqui, coitado do Diretor que quisesse simplesmente fazer o famoso “teste do sofá” durante a seleção de elenco para “Coração Valente” (Braveheart), por exemplo…

Já imaginaram com que fôlego ele sairia do Set?

A questão é, NÃO faltam atores nessa cidade: Sobram! Bom, a pequena introdução é para esclarecer que existem os profissionais sérios e os não-tão-sérios assim. E emprego de ator, é questão de sorte, sexo ou talento. Sempre haverão entrevistas para qualquer cena a ser gravada e palco a ser preenchido. Você pode estar no trabalho cinematográfico há 29 anos, mas se ainda não surgiu um Blockbuster no seu Curriculum, você continuará fazendo audições, testes e entrevistas. Seja ator e seja feliz. Que tal?

A procura de um emprego, em algum daqueles sites do Artigo anterior, encontrei um anúncio interessante: Procuravam EXTRAS para um seriado de suspense. Extra, para quem não sabe, são aquelas pessoas que ficam no fundo da cena, tomando uma cervejinha, comendo um chocolate, passando a mão no cabelo, atravessando o semáforo… Realmente, um profundo trabalho de interpretação! Mas já que emprego é emprego e qualquer coisa é bem-vinda, fui ver do que se tratava. Liguei e marquei um horário para minha audição. Me perdi, e cheguei dez minutos atrasada. Pensei em ligar para me desculpar, mas desisti no caminho. Cheguei lá e ainda tinha bastante gente na sala de espera.

“Assine aqui e pegue um Monólogo”, disse a recepcionista. Eu obedeci.

Sentada no sofá, aguardando ser chamada, lia meu Monólogo silenciosamente. Comecei a suar frio, e pensei: Minha primeira audição! Que emocionante! Nervosa, nervosa, nervosa, pensei: Poxa, é só um Extra, Wayra! Não existe a possibilidade de não passar num teste (sendo atriz), para exibir a função de tomar um sorvete e colocar os óculos na cabeça. Afinal, só se você for muito ruim e lamber os óculos e botar o sorvete na cabeça. Néééé? (E o “né” entrou junto comigo na sala da audição!)

3 minutos depois, abri a porta, e de saída disse: Obrigada, prazer em conhecê-la. Depois te ligo pra gente tomar um café! Simples assim. Alguém quer fazer o favor de me contar o que aconteceu lá dentro? Eu não lembro. Fiquei nervosa por 3 minutos e voltei ao normal, mas não lembro. Eu acho que ela me fez algumas perguntas e eu li o Monólogo. É, foi isso, eu acho! Ou seja, semana que vem tomaremos café!