Tags

, , , , , , , , , ,

Não é segredo que a vida de qualquer ator seja uma vida difícil. A escolha desta carreira implica na busca de caminhos cercados de constantes desafios. Não me leve a mal, eu bem sei que a carreira de um cientista, advogado, físico nuclear ou um neurocirurgião também deve ser árdua, mas não é a mesma coisa. Muitas profissões exigem anos de educação, muitas horas de estudo, noites de olhos vermelhos, saltando e comendo o seu cérebro por dentro por causa do preparo de teste após teste, todas as semanas, além de muito investimento financeiro. Tudo bem, pode até ser! Parabéns SE você chegou lá! Mas se isso fosse TUDO o que relativamente garantiria o sucesso de um ator, nós teríamos histórias muito mais bem-sucedidas. Mas não são apenas as informações que absorvemos durante uma escola, que vão construir nossa carreira. O ator deve encontrar seu próprio caminho no meio da selva, onde muitas vezes vão encontrar tempestades das quais não poderá se esconder, e muitas vezes lutar contra gigantes de pedras.

Ser atriz, significa ter dois trabalhos e condições de pagar as contas, as aulas, as fotografias, os meios de comunicação profissional, o aluguel, a gasolina; e ainda encontrar tempo para ir às audições, gravar, ir às aulas e enviar material de auto-promoção. Tudo isso, sabendo que eu poderia simplesmente ter escolhido Agronomia, estar tirando leite da vaquinha, regando as plantinhas, estar cuidando da minha fazenda e dos meus bichinhos, SE eu não tivesse essa estranha vontade que me leva aos palcos, às câmeras e aos estúdios cinematográficos. Não, não é exibicionismo, nem carência por atenção.

Ser atriz significa ir às centenas de audições e ter que engolir com o orgulho os tão utilizados: “A gente te liga!” ou “Obrigado, mas não, obrigado”. E de todas as audições, daquelas centenas, com muita sorte, ser aceita em duas, talvez três Call-backs. Eu imagino que um médico não precise fazer entrevistas para entrar a cada sala de cirurgia.

Ser atriz significa ter que responder sempre duas vezes quando perguntam O que você faz mesmo? E quando você responde que é atriz, eles ficam te olhando esperando alguma outra resposta, como se isso não bastasse, ou ainda perguntam Você é famosa no Brasil? ou, se for no Brasil: Globo?, ou por último, mas não o bastante: Você está em algum filme no cinema? Uma atriz tem que admitir que é atriz, sabendo o que vão perguntar e o que pensam sobre você, e mais frustrante do que isso, é o inevitável desvio de olhar porque ao responder sobre os trabalhos que você já fez antes, seu curriculum não inclui nenhum Blockbuster ou algum trabalho internacional, ou famoso, porque você ainda É NOVATA, E AINDA NÃO FOI DADA A OPORTUNIDADE de fazê-lo! Mas por mais que suas cordas vocais estejam tremendo de angústia para soltar um: “ESTOU SÓ COMEÇANDO, DÁ UM TEMPO, POR FAVOR?!”

Mas todos bem sabemos que essa loucura toda tem uma luz no final do túnel, e por mais distante e quase inalcançável que essa luz pareça estar, tem alguma coisa muito excitante e divertida no final das contas. Por mais que tudo pareça estar sendo muito difícil, o sorriso começa a querer aumentar cada vez mais, pois é como se você estivesse segurando as cartas que você ainda nem começou a jogar. E sim, é ótimo quando alguém pergunta se eu sou atriz, e após todos aqueles pensamentos sobre julgamento e olhares suspeitos a respeito da minha pessoa/profissão, pouquíssimas pessoas ainda me surpreendem com um: “Uau, essa sim é uma profissão difícil e tão competitiva. Boa sorte!”.

Eu só sou aquele sorriso amarelo e penso: “É né, então senta e me assiste!”